ux-design-portf-destaque-blog1

5 dicas para seu portfólio de UX Design conquistar os recrutadores

Views: 419

Written by:

No ambiente de negócios de hoje em dia, você já deve saber que não basta ser um bom profissional. É preciso também saber mostrar suas habilidades, seu talento, seus pontos positivos. Saber encantar com provas de sua experiência, das conquistas que você alcançou ou de processos dos quais participou ativamente.

Mas como fazer isso? Como transcender as habilidades que você já sabe ter para mostrá-las, para conquistar aquela vaga que tanto busca? Essas são dúvidas às quais Tom Cotterill, um UX Recruiter norte-americano, está totalmente acostumado. Porque  o que ele mais ouve são perguntas do tipo “Por onde começar meu portfólio?”, “Existe algum padrão?” e, principalmente, “Como posso melhorá-lo?”

CV X PDF X website

Neste artigo redigido para o portal Career Foundry, Cotterill compartilha algumas dicas preciosas — e em primeiro lugar ele destaca o formato do portfólio. Lembrando que os recrutadores gastam, em média, seis segundos analisando um CV, Cotterill sugere que você pode incrementar seu currículo com um arquivo em pdf com uma bela apresentação. Mas o melhor mesmo é um website que envolva suas informações (bio) e o que você fez (work).

Assim como acontece em outras áreas relacionadas a arte, criação e inovação, também em UX Design um portfólio ainda é a melhor forma de conquistar o recrutador. Afinal, são campos em que a contratação não é guiada pelo longo histórico e em quais companhias você trabalhou, mas pelo que você realmente fez ou pode fazer pelo negócio.

Para um arquiteto, mostrar um projeto — seja ele realizado ou não — vale mais do que mencionar que trabalhou em determinado escritório, ou estudou em determinada universidade. Porque a pergunta seguinte a uma informação específica sobre o histórico e a formação profissional invariavelmente é: “o que você fez nesse trabalho ou o que você consegue fazer depois dessa formação?”.

Ou seja, o que importa é você na prática. E a melhor forma de mostrar seu trabalho na prática é com um “produto digital”: o seu site. Confira agora algumas dicas de como você pode aprimorá-lo:

1. Mostre quem você é

ux-design-portf-destaque-fb3

Seu portfólio deve espelhar sua personalidade. Em um tempo em que se busca pessoas que tenham afinidade com a cultura da empresa, mostrar quem você é sempre será uma ótima iniciativa. E também será uma forma de se diferenciar dos outros, claro.

Inclua seu ponto de vista sobre o trabalho e a indústria. Cite ou mostre talentos que extrapolam a função de um UX Designer. Mais do que dizer por onde você passou, conte a sua história. Estas são algumas formas de mostrar quem você realmente é. E claro, faça isso sempre de uma forma leve, lógica e fluida.

2. Mostre o processo

portf-edmund3

Lembra das aulas de matemática, quando não valia apenas colocar o resultado final da equação? Você precisava mostrar todas as contas, e tal. No portfólio de UX Design vale a mesma regra. Valorize cada projeto mostrando como seu trabalho o levou a uma determinada resolução.

Marcin Treder, CEO da UXpin, afirma que “é muito mais importante dar ênfase em como você resolve problemas do negócio por meio do design”. Assim sendo, para cada caso, você pode apresentar as seguintes informações (nesta ordem):

  • o problema
  • com quem você trabalhou
  • quais ferramentas foram utilizadas
  • as fases de descoberta para solucionar o problema
  • o resultado final

Isso ajuda também na hora de selecionar os projetos, porque você deve escolher aqueles rendem as melhores histórias. E sobre o resultado final: os recrutadores querem sempre ver o projeto pronto. E se você não foi responsável pela interface, mostre-o mesmo assim. O importante é deixar claro quem fez o quê.

3. Mostre em imagens

portif-imagens
Esta dica tem a ver diretamente com a anterior. Para mostrar o processo, você precisa fazer os registros certos. A construção do seu portfólio é uma constante, uma parte indissociável do trabalho. Ou seja, você deve pensar no seu portfólio sempre que estiver desenvolvendo algo.

Tire prints das telas, guarde rascunhos e wireframes, registre os momentos para incrementar o storytelling de cada case. Pense em como você irá apresentar o que está fazendo, sempre. Desta forma você valorizará sua trajetória e fará a pessoa que vê seu portfólio mergulhar em cada projeto.

4. Mostre poucos e ótimos exemplos

portif-work
Já o chefe do departamento de produtos da UXPin, Kamil Zieba, é taxativo: “Eu não preciso ver 10 projetos. Só preciso ver três projetos bem documentados (a fase da ideia, a pesquisa, designs) e explicados (quais os objetivos e o resultado) para formular a minha decisão”. Por isso, ser seletivo nesse momento é indispensável.

Se você está começando, não tenha vergonha de mostrar dois, ou até apenas um projeto. Você estará sendo franco e mostrando que é exigente. Agora, se você já se considera um UX Designer mais experiente, cheio de ótimos trabalhos para mostrar, então respire fundo. É difícil, mas procure se agarrar a apenas três, no máximo quatro projetos. Deixe os outros para você comentar na entrevista. Mostre sua confiança não revelando tudo de uma só vez.

5. Mostre seu trabalho sem mostrar informações confidenciais

Não é um bom começo de conversa pedir para o entrevistador assinar um NDA (Non-Disclousure Agreement), certo? Então, para não limitar seu material por conta de informações confidenciais de clientes, você pode recorrer a alguns truques.

Um simples “blur” em determinados prints resolve muitas questões. O ângulo de fotos pode não revelar em detalhes as anotações num quadro, mas mostrar um trabalho árduo feito em equipe. Outras duas saídas são: pedir autorização aos clientes para colocar o trabalho no portfólio, e fazer uma simulação do projeto, poupando nomes e marcas, mas mostrando um problema e sua solução.

Inspire-se e faça melhor

Depois dessas dicas, nada melhor do que ver ótimos portfólios para se inspirar e, quem sabe, desafiar o UX Designer dentro de você. Aqui você confere 10 ótimos exemplos.

Mas, por onde começar? No bootcamp de UX Design da Tera, os alunos trabalham em projetos reais de startups aceleradas por parceiros como Google Campus, CUBO e Monashees. É a sua chance de aprender uma das competências mais importantes da economia digital, com profissionais que estão na linha de frente da inovação na indústria de tecnologia, colocando a mão na massa e construindo seu portfólio enquanto aprende.

cta-uxd-2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 dicas para seu portfólio de UX Design conquistar os recrutadores

by Felipe Fabris tempo de leitura: 4 min
0